Encontrei uma montanha de gestores com equipas que não operam nem de perto nem de longe do seu potencial máximo. O maior problema é que muitos nem percebem ou sabem se a sua equipa está produzindo abaixo do seu rendimento esperado. Sentem que estão a conseguir “muito” mas quando os ajudo a abrir os olhos percebem que não se produz tanto quanto se podia nem se cresce tanto ou tão depressa quanto se podia.

Há 3 indicadores que procuro sempre descobrir de forma a saber se o Gestor tem uma equipa partida. Como Gestor poderá utilizá-los também para melhorar o conhecimento que tem da sua equipa. Aqui estão os 3 indicadores:

1- Transforma-se constantemente de gestor em bombeiro?

De princípio pode parecer difícil de identificar. Pode frequentemente sentir que está a fazer um bom trabalho como Gestor quando tenta manter a equipa unida, encontrando erros e enganos e reparando-os rápida e eficientemente. Pode aliás sentir-se um verdadeiro Super Homem ou Super Mulher quando anda lá a resolver os problemas na sua empresa.

A verdadeira questão é esta, está constantemente a fazer isso? Os problemas no seu negócio são uma verdadeira colheita diária que merecem a sua atenção contínua? Se respondeu afirmativamente a estas duas perguntas então a sua equipa está a trabalhar mal. Mas repare que eu sei que problemas são impossíveis de erradicar completamente mas os problemas que o verdadeiro Gestor tem mesmo que resolver têm que ser exceções, nunca regras.

Se resolver problemas na sua empresa é uma parte repetitiva do seu dia de trabalho deve convencer-se em reestruturar a sua equipa e a forma como ela trabalha.

2- Gerir detalhes é cada vez mais necessário?

Sente que se não está lá os prazos não se cumprem, que não se produz? Tem que criar prazos e listas de tarefas para que as coisas apareçam feitas pela sua equipa?

Neste caso está a gerir os detalhes e isso não vai ajudar o seu negócio a progredir. Se acha que não pode confiar na sua equipa para entregar o que devem entregar então há um problema na forma como orienta a sua equipa.

3- Cada debate transforma-se num debate agressivo e demasiado sensível?

Tem que ser capaz de comunicar com os membros da sua equipa. Tem que ter a capacidade de realinhar os seus caminhos e de atribuir tarefas sem drama nem más caras. Se o excesso de sensibilidade se transforma num problema sempre que tenta falar com a equipa então a sua concorrência vai reagir muito mais rápido do que a sua empresa.

A chave aqui é saber se existe confiança e entendimento. Se eles não o entendem e se se não se consegue fazer entender então alguém irá sentir-se ofendido e a argumentação ficará muito difícil. Então começará a perguntar a si próprio: “Valerá a pena levantar a questão? Se calhar mais vale fazê-lo sozinho ou só com um ou dois. No momento em que pensar isto, acredite imediatamente que tem um problema de comunicação com a sua equipa e que deve mudar o seu estilo e a sua forma de comunicar.

Conclusão

Se nota alguns destes sintomas então acredite que a sua equipa está a produzir bem abaixo da sua capacidade. O resultado é que você está a carregar a equipa em vez de ser levado por ela e sem alavancar o seu tempo e energia com a contribuição dos suas pessoas.

A sua equipa é a sua imagem. Se acha que a equipa está partida isso é quase sempre reflexo da sua forma de gerir e comandar as pessoas e da forma ou estilo que transfere para elas. Assuma a responsabilidade e a posse deste desafio e pare para pensar em mudança.

Pergunte a si próprio como vai conseguir a mudança e não confie naquela voz interior que o leva a por dúvidas e queixas naqueles que o rodeiam… Não foi você que os selecionou, contratou e treina diariamente? Não é a si que eles tentam seguir?

Adaptado do Livro SPARKS, 2017 – Shweta Jhajharia

 

Marque um diagnóstico sem custo ou uma sessão com um Business Coach.

antoniotomeribeiro@actioncoach.com Ver todos os Artigos