Os factores que levam uma empresa a decidir pela exportação são inúmeros. Descrevemos abaixo uma síntese das 10 razões que identificamos como as mais frequentes:

  1. Necessidade de trabalhar com um mercado de volumes: esta necessidade surge quando a empresa tem capacidade de produção superior ao consumo do mercado nacional. Desta forma a exportação garante uma maior dimensão industrial, alcançando uma economia em escala que lhe fornece maior competitividade de mercado.
  2. Dificuldade ou diminuição das vendas no mercado interno: o mercado interno é bastante competitivo e, muitas vezes, as empresas não conseguem uma venda mensal estável optando então por procurarem outras oportunidades de mercado com as exportações.
  3. Conseguir melhor aproveitamento das estações: ocorre principalmente com quem trabalha com produtos sazonais. Podem efectuar as vendas nacionais naquela estação e projetar as vendas no mercado externo no hemisfério oposto, assim que a estação mudar.
  4. Possibilidade de preços mais rentáveis: existem produtos, geralmente artesanais, que num determinado país tem um valor mas noutros consegue-se vender por um valor muito superior.
  5. Melhor planeamento da produção: Esta razão influencia essencialmente aquelas empresas que trabalham com produtos "de moda". Num determinado momento são “o produto” mais procurado para no seguinte ninguém o valorizar! A empresa pode então produzir em grande quantidade com a certeza que, a haver excedentes, estes podem ser escoados através da exportação. Neste caso a grande quantidade de produção dá também a oportunidade de produzir com economias de escala e modelos do que não seria possível com pequenos lotes do mercado interno.
  6. Maior ciclo de vida do produto: Ocorre quando um produto já amadureceu no mercado interno mas, pode obter alto nível de satisfação em outro país.
  7. Diversificação de riscos: Para amortizar os efeitos periódicos ou crises do mercado interno. Diversificando também os países para onde faz exportação.
  8. Melhorar a imagem da empresa diante dos clientes: Não somente dos clientes, mas também dos fornecedores e bancos, geralmente o status e o prestígio de uma empresa que exporta é bem maior do que o de uma empresa que não trabalha com este mercado. Essa imagem reflete muito nas operações do mercado interno.
  9. Procura de equilíbrio do mercado interno: A exportação reduz o impacto da presença dos concorrentes, o que acaba sendo utilizada como tática pelos empresários, quando se vêem pressionados pela concorrência.
  10. Encomendas inesperadas e casuais de importadores: Neste caso, geralmente, não existia (ou não existe) um plano para o mercado internacional. A encomenda pode aparecer através de uma feira ou missão internacional ou um contato de agentes deixando, muitas vezes, a empresa numa enorme dúvida de negociação, onde em que correr riscos e aceitar como uma oportunidade ou recusar!
olgagoncalves@actioncoach.com Ver todos os Artigos