Recorda-se da última vez em que cometeu uma falha ou cometeu um lapso? NÃO? Então está de parabéns! Se a resposta é SIM, seja “bem-vindo ao clube”… Infelizmente, a maioria de nós já cometeu falhas quer tenham sido por lapso quer tenham sido mesmo por erro.

A verdade é que, enquanto seres-humanos, não sabemos tudo e estas situações vão continuar a acontecer. Se gosta de ver resultados rápidos terá uma probabilidade maior para cometer alguns por precipitação… A sugestão que fazemos é de que se for material há que reconhecer que não foi a melhor decisão, e rapidamente encontrar o “trilho certo” procurando então atingir a “velocidade” necessária para recuperar o que “se perdeu”.

Se for pessoal, isto é, se atingir negativamente uma pessoa que o rodeia, há que antes de tudo pedir desculpa! Mas para que serve um pedido de desculpas e como fazê-lo com verdadeiro sentido? Como ter a certeza que ao fazê-lo foi útil e benéfico para si e para a pessoa/pessoas atingidas?

Permita-me que partilhe uma aprendizagem recente com um colega de trabalho sobre a melhor forma de pedir desculpa (e que a pode usar quer na vida pessoal que na profissional!) – em vez de “desculpe”, “sinto muito”, “perdão” sugere-se:

- “Perdão, não volto a falhar” ou “Perdão, vou fazer melhor da próxima vez”. – Desta forma estará a reconhecer que falhou e que podia ter feito diferente. Está também a comprometer-se a fazer melhor ao tomar consciência de que havia outra opção. Ao seu interlocutor ficará claro que o pedido é sentido, a si permitirá uma tomada de consciência e reflexão do que pode e deve fazer em situações de contexto semelhantes.

Desta forma estará a permitir-se crescer enquanto ser humano que, tal como quando aprendeu a caminhar e após cada queda, se levantou de novo!

olgagoncalves@actioncoach.com Ver todos os Artigos