Cresci com a minha Empresa até aqui? E agora? Quem e como deve assumir o futuro?

Embora as estatísticas disponíveis em Portugal sobre empresas familiares sejam pouco precisas, estima-se que representem entre 65 e 80% do tecido empresarial, com tendência de crescimento e gerando mais de 60% do PIB e 50% do emprego.

A experiência como Business Coach da ActionCOACH junto de PME’s próximas tem evidenciado uma questão bastante premente: quando o Empresário atingiu já a sua plena maturidade de colaboração na Organização tentando integrar a geração seguinte para assumir e operacionalizar a Gestão corrente, o que fazer? E como?

Tenho deparado com algumas realidades em que o desafio que se coloca leva a situações preocupantes e até constrangedoras para todos os envolvidos, desde o Sucedido, com reflexos negativos no seu Bem-Estar e Saúde até à insegurança em alguns dos Sucessores, Colaboradores e Stakeholders relacionados com a Empresa, podendo afetar os resultados da mesma e, não raras vezes, perturbar ou ameaçar o normal e desejado crescimento sustentável do Negócio.

De registar um caso particular em que o dono do negócio se viu obrigado a transacionar o mesmo em posição negocial menos favorável por falta de alternativa de sucessão familiar, negligenciando a sua preparação atempada e eficaz. E quantos acabam por se confrontar com uma penosa liquidação final, por quebra de continuidade?

Em diversas economias desenvolvidas, existem já há alguns anos propostas de diferentes programas de preparação e formação orientados à sucessão nas Empresas Familiares, através de Escolas de Negócio, Universidades e Associações Empresarias, não fugindo Portugal a esta regra. Sugiro a leitura do Livro Branco da Sucessão Empresarial que, embora editado já em 2011 pela AEP, constitui ainda uma abordagem bastante completa e interessante sobre o tema em Portugal.

O Business e Executive Coaching têm sido alternativas comprovadas para o acompanhamento dos processos de Sucessão, pela sua dimensão de aprendizagem-ação e a presença de um elemento externo que pode facilitar a monitorização dos métodos usados bem como a implementação e verificação das “regras do jogo”.

Um Business Coach, dada a sua relação privilegiada de parceria e influência com as diversas partes envolvidas, apoia a definição, métrica e realização de objetivos profissionais e pessoais, usando as operações da própria PME como fonte prática de aprendizagem e crescimento de resultados, através de ações próprias de desempenho, desenvolvimento da autoconfiança e realização pessoal, bem como o aumento e captura de Valor para a organização e o mercado.

No caso do Empresário Sucedido que pretende preparar as diversas etapas de transição de responsabilidades, o Business Coach aconselha e suporta a recriação do seu propósito, desenhando e descobrindo diferentes reptos para uma nova fase da sua vida mais estimulante.

Paralelamente, alinha o Sucessor para fazer opções e tomar decisões competentes quanto ao futuro dentro ou fora da empresa, aliando soluções rejuvenescidas e inovadoras às técnicas de gestão já comprovadas. Assim, o processo de sucessão visa não só facilitar a renovação e os resultados individuais de todos os envolvidos, mas essencialmente garantir a evolução e crescimento do Negócio e Empresa pelo alargamento da sua Visão e excelência de Missão, respeitando os Valores que constituem a sua Cultura e diferenciação.

O Business Coach Carlos Alba está pronto a apoiá-lo(a) no próximo passo para Descobrir um Novo Futuro!

“Tanto a Empresa como a Família apenas sobreviverão se a Família servir a Empresa. Nenhuma funcionará se a Empresa for gerida de forma a servir a Família. O conceito-chave em Empresa Familiar deve ser Empresa em vez de Família” Peter Drucker

carlosalbasantos@actioncoach.com Ver todos os Artigos